A treta sobre as faixas póstumas de Michael Jackson

O nosso rei do pop, mesmo não estando mais entre nós, está envolvido em mais uma polêmica. Acontece que em 2009, quase um ano após o falecimento de Michael Jackson, foi lançado um álbum póstumo com algumas faixas inéditas, intitulado de “Michael“. Porém, os irmãos de Michael, Latoya e Randy Jackson estranharam os vocais utilizados e acreditavam que não era a voz de seu irmão. Eles não foram os únicos: uma fã do cantor, Vera Sanova, entrou com um processo contra a gravadora questionando a veracidade da origem da voz utilizada nas canções.

Para a surpresa/choque de todos, a gravadora (Sony Music) informou na corte de Los Angeles que em três músicas a voz utilizada podia não ser de Michael Jackson, são elas: Monster, Keep Your Head Up e Breaking News.

Como se não bastasse, a gravadora admitiu, anos após o processo ter se iniciado, que algumas partes das faixas não foram gravadas originalmente por Michael, mas sim por um imitador do cantor. Isso foi informado em nota, porém sem muitos detalhes, ou seja, como se tivesse acontecido uma colaboração de Michael com o tal imitador cujo o nome ainda não foi divulgado.

Então, além de toda essa treta com a família e os fãs do cantor, após vários meios de comunicação ao redor do mundo terem noticiado o fato, um advogado da Sony, Zia Modabber, veio a tona e negou as declarações da nota que havia sido publicada.

Através de uma nota oficial da Sony, o advogado informou que as investigações e o julgamento a respeito disso tudo não foram concluídos, então não há como dizer se a autoria, se a voz utilizada nas faixas, é verdadeira ou não. O advogado informou também que ninguém da Sony irá se pronunciar até o fim do processo.

Que coisa, não? Esperamos que tudo seja esclarecido.




Learn More