10 Séries Históricas Que Você Precisa Ver

Você gosta de ficção, mas ama quando a série é baseada em fatos reais? Gosta de aprender sobre como eram as coisas há tempos atrás? Essas dez séries históricas são para você!

  1. Vikings

Ambicioso e lendário, o viking Ragnar Lothbrok ascende de um jovem guerreiro ao Rei das tribos Viking com a ajuda de sua escudeira Lagertha, o irmão invejoso Rollo, destemidos filhos e seu bando de conquistadores.

Vikings é uma série de ficção mas com base em acontecimentos históricos. Ragnar é um herói nórdico real mas a série enfeita e cria em cima de sua história, daquele jeito que amamos. Com roteiro rápido, onde muita coisa acontece em poucos episódios, a série te prende fácil a sua trama.

É interessante conhecer mais dos costumes e crenças desse povo e os conflitos que surgem quando eles invadem países como Inglaterra, França e Rússia, onde o cristianismo.

Pra quem gosta de cenas de ação, a série tem muitas batalhas: individuais ou grandes guerras.

Vikings tem cinco temporadas até o momento.

  1. Outlander

A inglesa Claire Randall, enfermeira durante a Segunda Guerra Mundial, viaja com seu marido Frank à Escócia para uma reaproximação após anos separados pela guerra. Entretanto, Claire acaba que por meio de alguma magia voltando 200 anos no tempo e descobre-se sozinha no ano 1743 durante os levantes jacobitas. Lá, ela conhece o jovem guerreiro escocês Jamie Fraser e Jonathan Randall, antepassado de Frank e capitão inglês.

A série tem muita ficção, já que segue a jornada de personagens fictícios, porém todo o contexto é historicamente embasado. Por a personagem principal estar deslocada naquela época, ela acaba sendo nossos olhos nesse mundo, que já era distante para ela, imagina então para nós.

Outlander tem 3 temporadas até o momento.

  1. The White Queen

Nove anos de disputas internas sobre quem é o rei legítimo da Inglaterra se passaram quando Margaret Beaufort, Anna Neville e Elizabeth Woodville emergem no cenário político. As casas de Lancaster e York são dois lados de uma família muito dividida e essas mulheres não vão parar por nada em prol de seu desejo de tomar o trono.

Adaptação do romance histórico “The Women of the Cousins’ War”, da escritora Phillippa Gregory, The White Queen se passa durante a Guerra das Rosas, que durou 30 anos. A série começa no nono ano dessa guerra, em 1464, quando Edward IV é coroado o rei da Inglaterra e se apaixona por Elizabeth Woodville. Em contra partida vemos Margaret Beaufort tentando colocar seu filho, Henry Tudor, no trono e a ambiciosa Anne Neville, casada com o irmão do rei, também tentando chegar ao poder.

A Guerra das Rosas foi uma extensa guerra pelo trono inglês, com muita política e conchavos, manipulações… todos essas coisas baixas que o homem fazia (e faz) em busca de poder. Mas o interessante da série é que ela conta a história pelo ponto de vista de três mulheres, que atuavam não como rainhas, mas como manipuladoras do cenário político.

The White Queen tem uma temporada até o momento.

  1. The Tudors

A série segue o reinado de Henry VIII, desde seus escandalosos romances, a seus relacionamentos políticos, e seu papel em dissolver a Igreja Católica Romana na Inglaterra durante o começo dos anos de 1500.

Com certeza você estudou na escola sobre o rei inglês que era casado mas se apaixonou por outra e quis se divorciar mas a igreja católica não permitiu e, então, ele criou uma nova igreja, se divorciou e casou de novo com outra. Bom, acontece que muito mais fatores levaram a Henry VIII a romper com a igreja católica e criar a igreja anglicana.

The Tudors se passa depois da Guerra das Rosas (aliás, só pelo título da série aqui já sabemos quem vai vencer os conflitos de White Queen rs Mas não existe spoiler quando se trata de fatos históricos!) e é focado em todo o reinado de Henry VIII e, principalmente, sua busca por um herdeiro homem. Essa busca o levou a seis casamentos. A falta de herdeiros também trás muitas picuinhas políticas!

A fidelidade com a aparência das figuras reais não é tão fiel historicamente, com a série optando por atores sarados e atrizes magras em vez dos corpulentos personagens reais. Os vestidos também são bem mais decotados do que deveriam ser mas nada disso compromete a série.

Eu indico essa série para quem gosta de acompanhar personagens por um longo tempo, vendo-o envelhecer e tendo que lidar com várias escolhas que fez quando jovem. Imperdível!

The Tudors teve quatro temporadas.

  1. Wolf Hall

Minissérie sobre a ascensão e queda de Thomas Cromwell, filho de ferreiro que acabou se transformando em um dos homens mais poderosos da Inglaterra do século 16. Nomeado o Primeiro Duque de Essex e Primeiro-ministro do Rei Henry VIII, Cromwell ajudou o monarca na sua separação de Catherine de Aragão e seu casamento com a polêmica Ana Bolena.

Wolf Hall se passa também durante o reinado de Henry VIII, mas diferente de The Tudors que era focada no monarca, aqui a série é focada no Chanceler da Inglaterra na Era Tudor.

Um rei sem filhos homens em uma época em que isso era um enorme problema, a Inglaterrana passando pela transição da Reforma Protestante, com muitas pessoas ainda remanescendo fieis ao catolicismo, Cromwell se vê no meio de tudo isso, tentando manter seu posto e sua vida, enquanto o machado é uma ameaça cada vez mais real.

Atuações e realismo histórico primorosos, essa minissérie é imperdível para quem quer saber um pouco mais desse período da história.

Wolf Hall é uma minissérie em seis capítulos.




  1. The Borgias

Na Itália do século 15, o patriarca Rodrigo Borgia está montando sua campanha para se tornar o próximo Papa. Rodrigo logo percebe que sendo um intruso é difícil manter controle sobre seu poder político, enquanto manter seus filhos em rédea curta pode ameaçar seu futuro.

The Borgias tem muitas polêmicas e se você é uma pessoa muito católica que não gosta de ouvir nada de errado sobre os membros da igreja, talvez devesse passar longe dessa série, pois aqui vemos assassinato (muito envenenamento), fratricídio, estupro, compra de cargos eclesiásticos, corrupção, roubo, adultério, quebra do voto de castidade dos padres (e do próprio Papa) e incesto.

Assim como as sérias sobre o período Tudor, The Borgias fala sobre a ganância e a busca pelo poder , os jogos políticos e os interesses entre famílias. Mas no caso, não para chegar ao trono, mas sim ao topo hierárquico da Igreja.

Os cenários são primorosos, recriando em computação gráfica construções que não existem mais. Destaque também para as atuações e para o roteiro.

The Borgias teve três temporadas.

  1. Victoria

Em 1837, na Inglaterra, a recém-coroada Rainha Victoria lida com o cortejo e casamento com o Príncipe Albert, enquanto tenta manter o controle político em um país preparado para a Revolução Industrial.

Victoria é baseada nos diários pessoais da rainha e em fatos históricos que marcaram o mundo. A rainha reinou por 63 anos e 7 meses, sendo o mais longo da história, atrás apenas da atual rainha inglesa, Elizabeth II. Então, imagina quanta história a série tem para contar! Vemos na série a dificuldade que a rainha teve em governar por ter assumido a coroa ainda muito jovem, a tentativa de seu primeiro-ministro e de sua mãe de manipulá-la, a pressão para que ela case e tenha um homem governando a seu lado, o amor entre ela e o príncipe Albert e a pressão para gerar herdeiros.

A precisão dos figurinos e a ambientação histórica são de encher os olhos e extremamente fieis.

O longo reinado da rainha Victoria passou por vários momentos históricos importantes e seus descendentes se espalharam pela Europa, governando muitos países. A série é imperdível para quem gosta de estudar monarcas ingleses.

Victoria tem duas temporadas até o momento.

  1. Downton Abbey

No início do século XX, a família Crawley luta para manter o legado de Downton Abbey. Após a morte de um parente que estava à bordo do Titanic, Robert Crawley descobre que o novo herdeiro da propriedade é um sobrinho distante, Matthew Crawley, um advogado com pensamentos modernistas.

Dowton Abbey acompanha os Crawley, uma nobre família que tenta casar sua filha mais velha com o novo herdeiro, a fim de manter posse da propriedade que dá nome a série. O diferencial da série é tratar dos assuntos sob duas perspectivas: A família Crawley e os empregados da propriedade. Além de vermos os nobres tentando casamentos arranjados, abafando escândalos, lidando com administração da propriedade e etc, acompanhamos também a vida dos empregados, a hierarquia das funções, a vida devotada àquela família, as picuinhas para conseguir um cargo melhor.

Além do apego aos personagens, que você acompanha crescendo e mudando (e morrendo), tem também o fator histórico. O naufrágio do Titanic, a primeira guerra mundial, a ascensão do comunismo na Europa, são alguns dos fatores históricos que vemos sendo retratados na série e reverberam nos moradores de Downton. Mas é muito interessante também ver as pequenas mudanças daquele mundo como a chegada da luz elétrica, da geladeira, do rádio, do telefone, entre muitas outras coisas. Era uma época onde muita coisa mudou muito rápido e as pessoas iam tentando acompanhar. O papel da mulher na sociedade também é bastante discutido. Vemos no começo da série as mulheres apenas preocupadas com a preparação dos eventos de gala e no final algumas já estão administrando a propriedade e tomando conta de empresas!

Todos os personagens são maravilhosos, e você com certeza vai eleger o seu preferido mas é impossível não destacar a Lady Violet, interpretada pela maravilhosa Maggie Smith. Toda vez que ela aparece em tela é um expetáculo.

Downton Abbey teve seis temporadas.

  1. The Crown

O periodo dramático que segue o parlamento e a Coroa da década de 1940 à contemporaneidade durante o reinado da Rainha Elizabeth II, enquanto ela lida com Churchill, política, amor, perdas e o que significa ser uma rainha dos tempos modernos.

A série da Netflix pretende cobrir todo o reinado, até então, da atual rainha da Inglaterra, Elizabeth II, a rainha com maior reinado da história. Desde a morte de seu pai e sua ascensão ao trono, em uma época onde a monarquia tem mais uma função decorativa e as decisões são tomadas pelo parlamento, acompanhamos a rainha e sua família e principalmente suas abdicações. Ao pensarmos na família real, imaginamos pessoas felizes, que tem tudo que desejam, mas The Crown mostra que a vida pública pode ser muito mais difícil do que se imagina. Com um marido que sofre com o ego ferido por não ser tão relevante como a esposa rainha e a irmã rebelde que não se importa em esconder seus escândalos, temos Elizabeth tentando lidar com tudo isso e ainda ser uma figura de inspiração para a nação e cuidar da criação dos filhos. O peso da coroa do título é realmente muito pesada.

A recriação dos figurinos e fatos reais beira a perfeição. As atuações são igualmente maravilhosas.

Acontece muita coisa na série que eu fiquei me perguntando como a família real deixou aquilo ir ao ar? São muitos escândalos amorosos, políticos… E tudo tão recente!

The Crown tem duas temporadas até o momento.

  1. Band Of Brothers

Do seu treinamento na Georgia até o fim da Segunda Guerra Mundial, essa série conta a vida de homens que serviram na Companhia E (Easy Company) do 2º Batalhão do 506º Regimento de Infantaria Pára-quedista da 101ª Divisão Aerotransportada do Exército dos Estados Unidos.

Depois de dirigir O Resgate do Soldado Ryan, Steven Spielberg e Tom Hanks estavam ainda tão envolvidos com o tema que produziram Band Of Brothers, baseada no livro de mesmo nome de Stephen E. Ambrose.

Na série acompanhamos os soldados desde o desembarque na Normandia (famoso dia D) até a captura do Ninho da Águia, fortaleza de Hitler nos Alpes. Mas o que faz de Band Of Brothers diferente é a história ser contada pelo ponto de vista de um pequeno grupo de soldados, a História contada de baixo, como dizem alguns críticos. Aqui não temos uma parte da trama se passando no gabinete do presidente, nem nada disso. Ficamos com os soldados, com a Easy Company, o tempo todo.

No começo de cada episódio temos os ex-soldados reais, nos dias de hoje, contando um pouco de como aquilo que iremos ver nos episódios, mas não sabemos quem aquela pessoa é, aumentando assim nossa apreensão em saber quem vai sobreviver à Guerra. Só no último episódio é revelado suas identidades.

Além de Spielberg e Hanks na produção, a série tem o selo HBO de qualidade, então pode ir sem medo, ninguém poupou despesas aqui e a ambientação, figurino e cenas na guerra mesmo são de altíssima qualidade!

Menção honrosa para The Pacific, série produzida também pelo trio Spielberg, Hanks e HBO mas que relata o cenário no Pacífico da Segunda Guerra Mundial.

Band Of Brothers é uma minissérie em dez capítulos




Learn More